PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS DO PERÍODO

> Tratado de Tordesilhas, Descobrimento do Brasil, Capitanias Hereditárias, Exploração do pau-brasil, Escravidão indígena e africana, Ciclo da Cana-de-açúcar, Domínio holandês no Brasil,  Bandeirantes, Ciclo do Ouro,  Guerra dos Emboabas, Revolta de Filipe dos Santos, Inconfidência Mineira e Pacto Colonial. 

 

> A base da economia era o açúcar, após, com a descoberta do ouro um grande número de escravos foram trazidos da África para o Brasil, tem início o Ciclo do Ouro que se estendeu cerca de 1700-1760.  

> A Arquitetura refletia claramente a classe social que habitava a residência, já que a presença ou não de determinados elementos arquitetônicos como a eira, a beira e o número de pavimentos, bem como os materiais utilizados nas fachadas, determinavam o status social; havia divisão entre negros e brancos até mesmo nas igrejas, sendo que os negros construíam as igrejas como se fossem igrejas de brancos. As relações sociais ocorriam principalmente nas ruas.  

Nesta imagem, pode-se vizualizar tanto o traçado das ruas, bem como a diferenciação das edificações, quanto a número de pavimentos e elementos arquitetônicos. Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitetura_colonial_do_Brasil

> Surgindo os arquitetos, vários elementos arquitetônicos surgidos nessa época, caracterizam a arquitetura do período. A Arquitetura era caracterizada pela: métrica; nos sobrados as janelas correspondem à simetria e no alinhamento às portas e janelas do andar inferior, sendo o térreo comercial; uso dos muxarabis; as construções eram lentas; as casas eram feitas de barro queimado; as igrejas eram bastante decoradas; as casas adaptavam-se a topografia da cidade.  

Na imagem acima, podemos ver residências de dois pavimentos, fato que deixava claro uma posição social diferenciada, bem como, os mais variados elementos e características arquitetônicas, como: métrica; nos sobrados as janelas correspondem à simetria e no alinhamento às portas e janelas do andar inferior, sendo o térreo comercial; e uso dos muxarabis. Fonte:http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://static.panoramio.com/photos/original/4062938.jpg&imgrefurl=http://www.panoramio.com/photo/4062938

> No Urbanismo, as casas definiam o traçado das ruas; as primeiras vilas eram criadas em torno das igrejas; as placas indicativas de obra histórica eram postas ao lado da mesma, liberando a visão para o registro com ou sem mais informações; as praças eram “secas” livres de arvóres, eram apenas marcos no centro da cidade. 

  

Rua São José, no centro histórico de Ouro Preto. Traços e edificações do período colonial. Fonte: http://www.fafich.ufmg.br/cibi2006/fotos_ouro_preto.htm

 

Praça Tiradentes, Ouro Preto. Fonte: http://www.fafich.ufmg.br/cibi2006/fotos_ouro_preto.htm

 
CURIOSIDADES
 
 

  Sem eira Nem beira

Fonte: photoetgraphia.blogspot.com/2008_04_01_archiv...

Exemplo de Eira e Beira. Fonte: photoetgraphia.blogspot.com/2008_04_01_archiv...

     Na época colonial, os casarões e sobrados tinham grandes telhados feitos de telhas de barro sobrepostas. Sob o telhado eram bastante decorados, detalhes em forma da letra “M”, que chamavam de eira e beira, que também indicava a classe social do dono da casa. Quanto mais decorado, mais abastado.  

Cidade de Paraty  

     Paraty já foi sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil, durante o período colonial. Neste periodo o ouro de Minas Gerais era escoado somente por dois portos, que eram o porto de Paraty e o do Rio de Janeiro. Nessa época Paraty se tornou uma das cidades mais ricas do país. 

     Parte do Centro Histórico de Paraty se encontra atualmente, quase no nível do mar. Junto ao oceano, entre dois rios, Paraty está a uma altitude média de apenas 5 metros. 

 

Vista da Cidade de Paraty. Fonte: http://www.ilhaverde.net/iv/paraty.htm

     O traçado das ruas do centro histórico foi feito pelos maçons. Além de manifestar elementos do misticismo maçon o as ruas foram desenhadas de modo a dificultar uma eventual invasão a cidade. Alguns símbolos maçônicos decoram vários sobrados da cidade. 

     Devido aos altos impostos cobrados pela coroa portuguesa, era comum talhar imagens ocas de santos e enchê-las de ouro. Assim driblavam a fiscalização e evitava-se os saqueadores que se escondiam nas estradas.  

VÍDEO SOBRE A ARQUITETURA COLONIAL DA CIDADE DE PARATY  

 

        A arquitetura Colonial no Brasil foi uma extensão da arquitetura vinda da Europa com os portugueses, mas adaptada a realidade brasileira da época – desde a utilização dos materiais encontrados no país e pela econômia atual. Essa arquitetura encontrada em centros históricos como em Salvador-Bahia, Ouro Preto-MG, Olinda considerados Patrimônio Histórico pela UNESCO com obras magníficas de igrejas e técnicas construtivas de casas, são de orgulho e exemplo de conservação. Um pedaço da colonização guardada até hoje. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: