ARQUITETURA REGIONAL
  
      A arquitetura regional faz junção à cultura de determinada região, que em muitos casos descende de culturas de outros países, podendo ser facilmente identificadas por suas características.

“A premissa básica é que o conceito da chamada arquitetura regional […], corresponde a uma arquitetura pertencente ao seu lugar. Isto implica, três aspectos; o respeito à regionalidade cultural e social; a adaptação ou regionalização das obras ao meio e em terceiro lugar, a forma e os materiais com que as obras são construídas”. (Alfonso Ramírez Ponce. Vitruvius, 2008) 

     No livro Construções antigas em Santa Catarina de Jhans Broos. Têm-se informações sobre as heranças espirituais de Portugal e da Europa em edificações no litoral de Santa Catarina. 

     Um dos motivos da colonização no Estado dá-se pelo eixo entre o Rio Grande do Sul e São Paulo na faixa mais litorânea. 

    > Arquitetura para nós colonial, vem de origem açoriana, proveniente da região litorânea. 

    > Comparação: Ponte perto de São José com a Ponte açoriana de Porto Alegre. Casa de pau-a-pique parecida um pouco com a construção enxaimel de origem alemã. 

    > Muitos prédios pintados pelo autor do livro, mostram datação que seria de um período, mas com elementos de outros. Como a Paróquia de Nossa Senhora da Piedade de 1836, remete ao ecletismo. 

  

CHAPECÓ – ARQUITETURA REGIONAL E CRÍTICA

     O começo de Chapecó em 1931, trouxe com os colonos, a cultura italiana e alemã que descende a cidade, como a arquitetura das casas de madeira e os modos construtivos.

      Já em 1956, começa uma renovação de materiais nas casas da cidade, como a mudança do reboco cinza para o branco e a pavimentação da cidade.
 
      Com o tempo suas necessidades de expansão aumentaram, conforme seu sistema urbanístico teve de sofrer alterações. Para fazer parte do projeto CURA, fez-se um laudo onde a cidade entra no quisito de viabilidade viária. Com este projeto teve-se quase uma nova reestruturação urbanística, assim fazendo a valorização do centro urbano de Chapecó.

     É visível a partir da observação e análise dos prédios e residências situados ao longo da Avenida Getúlio Vargas que a ocupação da cidade iniciou nos entornos da catedral expandindo-se a partir da avenida principal. Dessa forma, hoje os prédios antigos encondem-se em meio a arquitetura contemporânea que vem sendo desenvolvida, principalmente através da revitalização das fachadas dos edifícios comerciais. 

    Temos um choque entre a arquitetura regional que vem caracterizando a cidade de Chapecó, se por um lado é importante o caminhar da arquitetura contemporânea, com o uso das novas tecnologias oferecidas no mercado, importante também é a preservação da arquitetura que um dia caracterizou a cidade.
 
     Evolução da arquitetura regional chapecoense ao longo da história…

Antiga Coletoria Federal, situada na rua Barão do Rio Branco, onde hoje localiza-se a loja “Ponto Frio”. Foto: Acervo do CEOM.

Vista do quartel, situado na antiga vila “Passo dos Índios”. Fonte: CEOM

1943 Igreja Matriz de Chapecó. Fonte: CEOM

Vista parcial da Praça Coronel Bertaso e Avenida Getúlio Vargas no final da década de 50. Onde já se consegue observar grande mudança, em relação às edificações existentes na foto anterior, da década de 40, também com vista focada para Avenida Getúlio Vargas. Fonte: CEOM

      A arquitetura regional chapecoense é um mix do antigo com o contemporâneo, com edificações importantes que devem ser preservadas, eis algumas delas:

Edifício da Antiga Prefeitura Municipal de Chapecó. Foto: José V. Corá. Fonte: CEOM

Apenas no ano de 1982 inicia-se a construção do Hospital Regional de Chapecó, sendo que a cidade crescia bastante e tornava-se a maior cidade do oeste catarinense. A obra foi concluída em 1986, e considerada tardia pela configuração da cidade. Atualmente, caracteriza-se como importante referência à nível regional e sua arquitetura deve ser preservada. Fonte: CEOM

Na década de 1990, já se percebe a verticalização da cidade, começam a surgir principlamente na área central da cidade edifícios em altura, como pode ser visto na imagem aérea da Avenida principal de Chapecó. Fonte: Ana Laura Vilella.

Casa Bertaso - A Casa Bertaso que remete a cultura italiana, um detalhe da casa são os Lambriquins, que digam algumas línguas não ser original da casa. Os Lambriquins da casa são mais decorados e detalhados do que os originais de casas italianas. Foto: Micheli Friedrich.

. Construção abandonada, em ruínas no centro da cidade, em frente ao calçadão, importante ponto de encontro e convivência. O estado em que a edificação encontra-se degrada a visual da paisagem. É visível a desconsideração e a despreocupação para com a preservação de construções como esta, tão consideráveis para a caracterização da arquitetura chapecoense. Foto: Micheli Friedrich.

Edificações antigas na Avenida principal da cidade (Av. Getúlio Vargas), ao centro (primeira rodoviária). São muitas as construções desta tipologia que escondem-se em meio às fachadas contemporâneas que vêm sendo trabalhadas no setor comercial da cidade. Foto: Micheli Friedrich.

Edificação antiga da cidade com traços Art Decó. Atual Livraria Educativa. Foto: Micheli Friedrich.

Importante Residência para a caracterização da arquitetura chapecoense. Já funcionou como uma escola, atualmente uma Exposição importante no ramo da Arquitetura (Decorare), restaurou a edificação para a realização da amostra e para dar um novo uso à residência, o de uma casa de eventos (formaturas, casamentos), valorizando o potencial arquitetônico e paisagístico que o local oferece. Foto: Micheli Friedrich.

  

 Outros exemplares da arquitetura que caracteriza a cidade de Chapecó: 

Edifício da Arquitetura Moderna, da década de 1980, localizado no centro de Chapecó. Fonte: Ana Laura.

Terminal Urbano de Chapecó, considerado Arquitetura Moderna da década de 80. Fonte: Ana Laura.

Algumas construções contemporâneas: 

Residência no Bairro Presidente Médice - Chapecó/SC. Fonte: Micheli Friedrich

Residência no Bairro Jardim Itália - Chapecó/SC. Fonte: Micheli Friedrich

Exemplar da Arquitetura Contemporânea em Chapecó (2004). Foto: Naiana Bandeira

Exemplar da Arquitetura Contemporânea em Chapecó (2004). Foto: Naiana Bandeira

        Na arquitetura regional chapecoense, caracterizada em tempos passados pelos edifícios que carregam consigo até hoje características do Art Decó, percebe-se cada vez mais a descaracterização de tal arquitetura. O que vem sendo desenvolvido na contemporaneidade chapecoense, envolve o uso de materiais que vêm sendo lançados constantemente no ramo da construção civil. São construções que apresentam traços modernos, linhas retas e sinuosas, a famosa arquitetura das residências com platibanda e o uso intenso do vidro, principalmente na questão estética. Cada vez mais, uma arquitetura requintada e bem feita é sinônimo de status.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: